4 restaurantes onde pode comer bem e barato!

Zé Pinto
A gerência mudou, mas a qualidade a que nos habituaram mantém-se intacta.

Zé Pinto

Um adepto do Porto ou um ferrenho do Sporting é natural que sinta algum desconforto neste restaurante. Mas futebóis à parte, o que interessa aqui é mesmo a comida.

A grelha continua exímia, por isso não se admire se lhe sugerirem o famoso entrecosto com batatas fritas.

Se quiser o arroz de feijão, prepare-se para esperar cerca de 25 minutos, mas depois vai ver que valeu a pena.

Se a carne não for a sua praia, vingue-se no bacalhau à lagareiro, cozido com grão ou em pataniscas.

Se for à quinta ou ao sábado, o prato do dia é o famoso pernil assado no forno, outra das especialidades da casa.

Atenção que o Zé Pinto é concorrido, por isso convém reservar mesa.
Aberto de segunda a sábado, para almoços e jantares.

1 dose de entrecosto €9
1 arroz de feijão €5
1 jarrinho de vinho €1,50
pão €0,90
azeitonas €0,70
Total: €17,10

Zé Pinto, Largo General Sousa Brandão, n.º 2, Lisboa
tel. 217 787 783

O Rápido
Apanhe o comboio, mas antes, viaje pela cozinha tradicional portuguesa.

O Rápido
Viajecomigo.com

Não é preciso ser do Porto ou apanhar o comboio todos os dias em São Bento para se cruzar com O Rápido, o restaurante que está virado para aquela estação há mais de 60 anos.

Quem por lá passa já sabe que tem de reservar ou não fossem ali servidas as famosas tripas à moda do Porto.

Especialidades não faltam e o cozido à portuguesa é o ex-líbris, mas esse, só de outubro a março, sempre às quartas-feiras.

E se lhe disser que O Rápido tem na ementa o bacalhau à espanhola, típico do Porto, tão raro de encontrar?

As sobremesas também se destacam. No topo das preferências está o bolo de amêndoa, cuja receita a cozinheira trouxe do México.

Aberto de segunda a sábado, ao almoço e ao jantar.

1 dose tripas à moda do Porto, com arroz branco €10
1 jarrinho de vinho €5
cesto de pão €1,50
azeitonas transmontanas €2
Total: €18,50

O Rápido, Rua da Madeira, n.º 194, 4000-533 Porto.
tel. 222 054 847

Toi Faróis
Fica a 7 kms de Beja a caminho de Serpa e o entrecosto é uma das especialidades. Aqui, as melhores recordações vêm à boleia da nossa memória.

O que fazemos em pequenos pode marcar-nos para a vida. Assim foi com o Toi Faróis. Mal ele sabia que naquele jogo das escondidas iria encontrar o nome do seu restaurante.

Quem lho arranjou foi um amigo, que, ao deparar-se com ele, no dito passatempo de crianças, fez com que o, então, miúdo António, se esquecesse do apelido Guerreiro e arregalasse tanto os olhos, que a partir desse episódio, conquistasse tamanha alcunha.

São histórias do acaso, que se tornam num caso sério. António Guerreiro tem hoje 50 anos. Não estudou mais do que a antiga 4.ª classe, e foi com os ensinamentos da mãe que aprendeu a fazer os seus cozinhados. “Perguntei-lhe como se fazia, mas depois quis fazer à minha maneira”.

De tal maneira, que conseguiu colocar no mapa Porto Peles, uma pequena povoação entre Beja e Serpa. Pequena, mas de grande alcance. E, apesar de não haver quem não o conheça nas redondezas, diz: “São os de fora que nos governam”.

Os grelhados de Porco Preto são a especialidade da casa, mas não estão solteiros e casam na perfeição com a salada de tomate. A eles juntam-se as batatinhas fritas. “Mas não é cá dessas congeladas”, conta-nos, arregalando novamente os olhos.

Quem aqui para é pelos grelhados: entrecosto, presa ibérica, lagartos, abanicos… mas por encomenda pode-se sair daqui com um ensopado de borrego, cozido de grão, sopa de peixe, açorda de bacalhau ou pescado no bucho.

É no já transformado quintal dos pais que mora, há 17 anos, o Toi Faróis. Com António na cozinha, o filho André nas mesas e a irmã a dar uma mãozinha, ou não fosse ela esteticista.

Toi Faróis, Rua Joaquim das Neves, 7800-548 Beja
tel. +351 968 749 677

Zé Manel dos Ossos
Na cidade dos estudantes não há quem não o conheça. É restaurante pequeno, mas cheio de personalidade.

Não são só os locais que o visitam, segundo diz quem lá trabalha já faz parte do roteiro dos turistas. Situado na baixa de Coimbra, na Rua Beco do Forno n.º 12, ficou apelidado com o nome do prato que lhe deu fama.

“Antigamente nos talhos dos mercados, a carne era desossada e os ossos iam para os canis municipais. O Zé Manel achou piada aquilo porque os ossos ainda levavam muita carne e pensou: ‘olha, isto cozidinho e temperado pode dar um petisco à maneira’. Trouxe-os para experimentar e passado pouco tempo as pessoas faziam fila à porta”, conta Jorge Ferreira, um dos cinco empregados do restaurante.

Os ‘Ossinhos’ são um dos pratos da casa, mas há mais: “feijoada de Javali, o arroz de feijão malandro com as costeletinhas, a chanfana e o vomitado, que é um doce de amêndoas com ovos e bolacha, espetacular. Primeiro torcem o nariz, mas nós avisamos: prove e depois vai ver se torce o nariz. Ficam maravilhados!”

Se achou o nome da sobremesa estranho, o que diz dos ‘cogumelos à porcalhada’, com carne de porco e enchidos. A ‘sopa à Lavrador’ é de ficar com a colher em pé. Está sempre no menu e de vez em quando há sopa da pedra ou rabo de boi.

Aqui não há reservas e quanto aos clientes? “Temos de tudo, graças a Deus. Desde Juízes, passando pelos turistas, e por aí fora até ao pedreiro. Toda a gente gosta de vir cá”.

Não são só os ‘ossos’ que caracterizam a tasca do sr. Zé Manel dos Ossos, hoje com 85 anos. “Esta coisa dos papelinhos na parede começou a partir do 25 de abril [de 1974]. Antes ninguém podia abrir a boca. Depois disso começaram a sair aquelas piadas nos jornais, o Zé Manel achava graça, recortava e colava na parede. E depois os clientes começaram a fazer o mesmo”.

O preço?
Depende da boca, mas normalmente uma refeição fica entre €9 a €12. Meia dose de ossos serve a uma pessoa, com um jarrinho de tinto (0,40) e sobremesa pode ir aos €10.

Zé Manel dos Ossos, Beco do Forno 12, 3000-192 Coimbra
tel. +351 239 823 790

+0 -0

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   000-089   300-135   9A0-385   1V0-601   70-412   70-347   300-070   000-104   350-060   200-310   70-488   C_TFIN52_66   N10-006   000-017   NS0-157   c2010-657   CAP   70-413   220-801   200-310   200-120   500-260   CISM